digitação utilizada para inclusão no site:
08/10/2002

Jornal de Petrópolis
4-10/01/2003
Ano 5 - n. 318

O COLÉGIO ESTADUAL RUY BARBOSA

Jeronymo Ferreira Alves Netto

O Grupo Escolar Ruy Barbosa, inaugurado em 26 de setembro de 1950, foi uma realização da administração do Governador Edmundo Macedo Soares e Silva.

Construído numa área de 6.848 m2, adquirida pelo Governo do Estado pela quantia de Cr$ 1.090.000,00, foi projetado pelos arquitetos Ibsen Rocha Villaça e Francisco Rocha Villaça, obedecendo aos mais rigorosos preceitos técnicos de conforto e higiene.

A execução da arrojada obra custou aos cofres do Estado a considerável soma de Cr$ 5.200.000,00.

A solenidade de inauguração, presidida pelo próprio governador contou com a presença das seguintes autoridades: Mons. Gentil Costa, vigário geral da Diocese; Bento Soares de Almeida, Secretário de Viação e Obras Públicas; Leonel Homem da Costa, Secretário de Educação e Cultura; Dr. Álvaro de Oliveira, Secretário de Segurança; deputado Prado Kelly; vereador Nazareth Braga Peixoto e professora Hildegonda Silva Barcellos.

Esta última, renomada educadora, esposa do ilustre advogado e político Dr. Eugênio Lopes Barcellos, por seu zelo e competência foi escolhida pelo governador para ser a primeira diretora do Grupo Escolar então inaugurado.

Anteriormente, assinara, Sua Excelência o governador do Estado, um Decreto, datado de 25 de setembro de 1950, com o seguinte teor:

"Considerando que o Brasil teve em Ruy Barbosa um de seus filhos mais gloriosos, pela inteligência e pela cultura, postas a serviço da causa pública;

Considerando que o nome do saudoso lidador do Direito é um símbolo do aprimoramento intelectual, exemplo para todos quantos se empenham na obra da educação do povo;

Considerando que Ruy Barbosa terminou seus dias no seio da terra fluminense, na cidade de Petrópolis, onde cumpre integrar à sua memória a legenda de inspiração e estímulo das novas gerações, decreta:

(1) Tribuna de Petrópolis, 27 de setembro de 1950, p. 1

Art. 1º - É dada a denominação Ruy Barbosa ao novo Grupo Escolar a ser inaugurado no "Alto da Serra", no Município de Petrópolis.

Art. 2º - Este decreto entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário" (1).

Criada pelo Decreto nº 03776, de 25 de setembro de 1950, a Escola Estadual Ruy Barbosa que ministrava inicialmente o ensino de 1ª a 4ª série, não tardaria a iniciar outros cursos. Assim, a 18 de maio de 1956, começou a funcionar o Ensino Supletivo (Dec. 5329, de 14 de julho de 1961), o Pré-Escolar (Portaria 4737, de 25 de maio de 1981), o ensino de 1ª a 4ª série estendeu-se até a 8ª série (Portaria 1757). Finalmente a 8 de novembro de 1982, foi criado o 2º Grau (Dec. 6293) e a Escola Estadual Ruy Barbosa foi transformada em Colégio Estadual Ruy Barbosa.

No decorrer destes 52 anos, o Colégio foi dirigido pelos seguintes professores:

Profa. Hildegonda Silva Barcellos; profa. Regina de Souza Adão; profa. Suely Regina de Souza Bellardo; profa. Lucília Barenco Correia de Mello; profa. Sonia Regina Scudese; profa. Marly Gianotti Campos; profa. Hercília Pinheiro de Barros Franco; prof. Adolpho Mendes Hang; prof. Charles Augusto Kowalski; profa. Sandra Maria B. de Pinna Cabral; prof. Gelcy Corrêa Júnior; profa. Janir Lage da Silva e profa. Patrícia Silveira Imbeloni Gomes.

A segura orientação destes dirigentes e a ação pedagógica de um seleto corpo docente, no qual figuraram e continuam a figurar ilustrados professores, transformaram o Colégio Estadual Ruy Barbosa num dos mais completos e bem sucedidos estabelecimentos de ensino estadual da cidade.

Os primeiros 16 anos de existência do Colégio foram marcados pela presença e pelo talento de sua primeira diretora, profa. Hildegonda Silva Barcellos, que soube fazer de sua vida um exemplo dignificante na família e no magistério.

Nascida em Santo Antonio da Encruzilhada, Paraíba do Sul, em 16 de julho de 1896, era filha da notável educadora, professora Georgina Jorge e Silva, que prestou assinalados serviços à causa da educação, inicialmente em Paraíba do Sul, entre 1889 e 1913, e posteriormente em nossa cidade, onde foi regente do Grupo Escolar Silva Jardim, que funcionou no antigo casarão do Dr. João Pandiá Calógeras, à Rua Souza Franco.

Inspirando-se em sua mãe, D. Hildegonda tomou gosto pelo magistério, iniciando muito cedo sua longa e profícua carreira como professora, no mencionado Grupo Escolar Silva Jardim, tornando-se mais tarde dirigente do Grupo Escolar Embaixador Cárcano que funcionou num prédio localizado na esquina da Rua Teresa com a Rua Chile, o qual, ao que tudo indica, teria se transformado, por ocasião da inauguração do novo prédio, no atual Ruy Barbosa.

Confirmada como diretora deste, permaneceu no cargo até 1966, quando se aposentou. Durante todo este tempo realizou proveitosa administração, impondo-se à admiração de alunos, pais, funcionários e professores. Grande animadora das atividades extraclasse, sob sua competente orientação, foram fundados: Pelotão de Saúde, Clube Agrícola, Clube de Esportes, Biblioteca, Orfeão, Bandinha Rítmica e o Clube Cívico.

De postura senhorial, possuía D. Hildegonda uma personalidade extraordinariamente forte, realçada pela sincera amizade e dedicação a seus alunos, e professores. Faleceu em 26 de setembro de 1968 e, num preito de gratidão, seu nome foi dado ao Centro Cívico do Colégio, fundado no mesmo ano.

Por ocasião do 50º aniversário do Colégio, em 26 de setembro de 2000, a direção do mesmo desenvolveu primoroso programa de comemoração, constando de missa em ação de graças, celebrada na Igreja de Santo Antonio, com a participação do Coral e Orquestra da Universidade Católica de Petrópolis, sob a regência do maestro Antonio Carlos Leal Gastão; exposição de fotografias; apresentação da Banda Marcial do Colégio e inauguração no Saguão dos retratos de todos os diretores.

Sem dúvida, uma celebração digna de meio século de um educandário dedicado à educação, à cidadania, à construção do saber, em busca da realização humana.

topo da página

índice de trabalhos

índice de autores