digitação utilizada para inclusão no site:
23/08/2011

Tribuna de Petrópolis:
23/08/2011

Justiça feita!

Joaquim Eloy Duarte dos Santos

Em Petrópolis fez-se justiça. Perfeita. Íntegra. Congratulações à Justiça.

Homenagens precisas ocorreram; rejubilemo-nos.

Nada foi gratuito ou gerado por interesses corporativos ou egoísticos. Aconteceu na cabeça dos doutos sob nosso aplauso e o de todos que conheceram e conviveram com os homenageados.

Por vezes nomes são dados a logradouros e prédios, sem cuidado, injustamente; as homenagens ficam perdidas por insuficientes; desagradam; não têm unanimidade.

As duas, que citarei, apresentam-se perfeitas e honram Petrópolis, seu povo, sua Justiça.

Ao Fórum na Rua Barão do Rio Branco, o batismo de Dr. Felisberto Monteiro Ribeiro Netto; ao Fórum Trabalhista no Centro Histórico, o nome do Dr. Carlos José Essinger Schaefer.

Tive o privilégio de conhecê-los, acompanhá-los, admirá-los. Sei, portanto, como foram justas as homenagens, que perpetuam dois excelentes magistrados, o primeiro petropolitano honorário; o segundo, nato.

Dr. Felisberto, mestre do direito, da honra, da simpatia, viveu para servir, ajudar, unir em verdadeiro sacerdócio profissional. Encaminhou advogados valorosos para a Magistratura, a eles assessorando, ensinando, prestando assistência, incentivando com seu saber e exemplo ao exercício digno da nobilitante profissão. Não tive o privilégio de ser seu aluno, infelizmente, mas o admirava, com ele conversando muito nas pausas entre as aulas na Universidade, onde fomos colegas professores, para honra e satisfação minha; e na Academia Petropolitana de Letras, na qual foi titular, sempre presente, atuante, participando em Diretorias, ao meu lado e ensinando sempre, mestre que era. Seu nome na Casa da Justiça é perfeito e honra Petrópolis e o Estado do Rio de Janeiro. Como ele honrou em vida.

O Schaefer – adoto esta chamada mais íntima, foi colega meu de bancos escolares, desde os tempos do Colégio São José, na Avenida Koeler, 260, na fase da Diretora Profª Zaida Ferreira Alves Esteves, passando pela Faculdade de Direito, a pioneira do ensino superior, na qual eu me encontrava inscrito e freqüentando a 1ª turma e o Schaefer, nela ingressando no ano seguinte, bacharelando-se na 2ª turma. Participamos do Diretório Acadêmico Ruy Barbosa onde ele despontava com sua alegria, seu falar troante, sua inteligência privilegiada. Advogado brilhante, ingressou na Magistratura Trabalhista, notabilizando-se pela humanidade, aguçada percepção, conhecimento e competência, justo e perfeito magistrado. Seu nome na Casa da Justiça Trabalhista honra seu trabalho e borda de orgulho santo seus companheiros dos maravilhosos idos da mocidade. Justíssimo seu nome no Fórum Trabalhista com merecimento.

Tributo, pois, a dois grandes nomes petropolitanos, de tanta saudade, definitivamente perpetuados nos sítios profissionais onde foram notáveis.

Justiça feita!

topo da página

índice de trabalhos

índice de autores