Tribuna de Petrópolis:
11/03/2005

CENTENÁRIO DO ROTARY: ATIVIDADE

Antônio Eugênio Taulois

Quando o Rotary foi fundado há cem anos atrás em Chicago, por quatro homens de negócios que queriam reduzir os efeitos desenfreados da concorrência entre eles, ninguém poderia imaginar que daquele quarteto surgiria pouco tempo depois, espalhada por 165 países, uma megainstituição com mais de 1 200 000 associados agrupados em cerca de 32 000 clubes. Não há exemplo de globalização mais visível do que essa. Com o tempo, o objetivo inicial da reunião ganhou um outro sentido e foi expandido para atender às mais diferentes necessidades das pessoas, melhorando a vida de comunidades internacionais. Hoje, o envolvimento de Rotary em programas de assistência internacional procura promover a alfabetização entre os mais carentes e combater a fome e a miséria, que são os maiores obstáculos à Paz e à compreensão mundial. Por exemplo, no ano passado, duas aldeias africanas na Etiópia, foram ligadas por uma pequena ponte que foi construída sobre as ruínas de uma velha ponte portuguesa de mais de 300 anos que tinha desabado, prejudicando uma comunidade de 375 mil aldeões, que eram obrigados a se arriscar numa perigosa travessia com cordas. A ponte foi levantada por rotarianos voluntários em férias e com o apoio da Fundação Rotária.

Em Petrópolis, os três Rotary daqui e mais um de Palma de Majorca, Espanha, doaram à Escola Rotary e a COMAC salas com dez computadores e seus periféricos, para serem usados em aulas de informática de seus alunos.

Alguns projetos rotários são de grande vulto como o de uma escola da Ordem Franciscana que estava quase fechando no Morro da Conceição, no Rio de Janeiro, e se transformou em 2003 em uma Escola Técnica para 1000 alunos, com apoio da Fundação Rotária e de mais oito Rotary Clubes da Alemanha. 900 000 dólares foram investidos no projeto, sendo este, o maior investimento rotário no ano em todo o mundo. Na inauguração dessa escola, quarenta rotarianos alemães dos clubes que patrocinaram a obra vieram participar da festa e fizeram questão de vir a Petrópolis jantar conosco, quando souberam que a cidade tinha sido colonizada por alemães.

O aporte financeiro para os programas humanitários internacionais de Rotary é garantido pela Fundação Rotária. Trata-se de uma instituição criada e mantida por rotarianos de todo o mundo, que patrocina bolsas de estudo, intercâmbio de profissionais e estudantes, subsídios para alfabetização, assistência médica e alimentar, voluntariado de profissionais em áreas carentes e outras assistências semelhantes. Mas a ação mais decisiva da Fundação Rotária foi o programa Pólio Plus que, desde 1985, vem colaborando significativamente para a erradicação da poliomelite no mundo, proporcionando à Fundação, um assento permanente na Organização das Nações Unidas, que reconheceu assim, publicamente, o apoio recebido nessa campanha.

Ao comemorar o centenário do movimento rotário internacional, o Rotary Petrópolis, o Rotary Cidade Imperial e o Rotary Itaipava, que estão presentes na cidade há setenta e sete anos apoiando e servindo à comunidade, esperam poder continuar promovendo a compreensão internacional.

topo da página

índice de trabalhos

índice de autores